quarta-feira, 14 de março de 2012

Prazer, sou o WilL





Queria usar apenas “Nuwanda” mas, como era de se esperar, outro cara tão pouco criativo quanto eu já tinha pegado esse nome (dãããã, muito original você, só por causa do Sociedade dos Poetas Mortos... shame on you!)

Enfim, devido a uma atroz fatalidade (para eles) conheci o Jhow e a Pauline em sua última viagem ao Rio. Durante sua breve estada não aconteceu de eles perderem o caminho entrando por engano no último bastião do tráfico, nem de serem sequestrados por milicianos sanguinários. Não, eles tiveram o infortúnio pior de atrair minha atenção com sua inteligência bem acima da média e seus textos pretenciosos e desprovidos de qualquer ortodoxia. Como compartilho de semelhante deficiência para apreciar e produzir textos convencionais, acabei concluindo que eles são os melhores escritores que conheço pessoalmente (suspeito que isso se deve a alguma anomalia genética familiar ainda não corretamente identificada pela ciência).

Sob o efeito de viciantes e ilícitos acordes musicais alucinógenos (fornecidos ilegalmente a mim por uma pessoa cujo nome não revelarei para que não me seja cortado seu suprimento regular) li vários dos seus textos, chegando finalmente à aterradora e inevitável conclusão de que, talvez, eu também pudesse ser um ‘psychotic writer ‘ (psicótico tenho certeza absoluta que sou, agora escritor... vamos ver).

Tendo o conforto de saber que ninguém poderá me acusar de ser o causador do ocaso deste projeto e escondido sob pseudônimos garbosos e abstrusos, pronta e corajosamente (sic) aventuro-me nestes mares desconhecidos, fazendo esta única promessa preemptiva: sempre ser ambíguo e nunca, sob nenhuma hipótese, explicar o que quis dizer.

Sobre mim...
Interesses:
  • Línguas sintéticas ou mortas que soem bem;
  • História da Segunda Guerra Mundial;
  • Eletrônica;
  • Física (quântica também, mas Einstein estava certo, Deus não joga dados);
  • Teoria Geral da Relatividade (ainda tentando descobrir uma maneira de vencer a barreira da inércia infinita antes de alcançar a velocidade da luz que inviabiliza a viagem no tempo);
  • Shakespeare;
  • Bombas atômicas, radioatividade e seus efeitos – provavelmente consequência de ver o filme “The Day After” antes da adolescência (viram porque devem tomar cuidado com o que seus filhos assistem na televisão?);
  • Teorias exclusivas e absurdamente coerentes (ou não) que expliquem o contrário do que todos entenderam de um filme (coisa de “só eu, o diretor e talvez mais duas pessoas no mundo entendemos realmente, sabe?”)
Hobbies:
  • Uso excessivo de parêntesis, vírgulas, pontos de exclamação e conjunções;
  • Estudo e execução de instrumentos musicais que causem o maior desconforto e irritação, no maior raio possível e para o maior número de pessoas, sem o auxílio de dispositivos eletrônicos.

Projeto atual:
  • Aprender gaita de foles.

“Damn it Neil, the name is Nuwanda!”

2 comentários:

  1. Uau, que apresentação!
    Seja bem vindo ao clube dos desvairados.
    Welcome to the jungle!!!

    ResponderExcluir